27 setembro, 2010

Conte Sua História

Na última sexta, 21 foi a vez da Landy Freitas dividir sua caminhada no Conte Sua História, um projeto da Associação Cultural Literatura no Brasil,onde os membros contam sua trajetória de vida e sua relação com a literatura.

Seguem as fotos.


Landy e Jorge, ao fundo

Débora, Francis Gomes e Marcio Sam

Soraia e família

D. Elizabete, Renato e Cákis

A turma toda


Landy

17 setembro, 2010

Pela moral e os bons costumes.

A polêmica está no ar. Adolescentes do ensino médio lêem conto erótico em coletânea fornecida pela rede estadual de ensino.
Pais indignados, o poder legislativo de alguns municípios do estado de São Paulo se manifesta publicamente em repúdio a essa afronta à moral e aos bons costumes.
A origem de todo esse alvoroço é o conto Obscenidades para dona de casa, de Inácio de Loyola Brandão. O texto está na coletânea Os cem melhores contos do século, de organização de Ítalo Moriconi. Obra prima, de elevado valor cultural, fruto de um sério e respeitado trabalho de pesquisa e, que está prestes a ser recolhida, devido ao conteúdo do conto em questão.
Por mais que tenha me esforçado para compreender esse movimento, confesso que não consegui. Tudo me soa tão contraditório!
Com certeza os que bradam pela proteção moral dos nossos adolescentes, todas as noites sentam-se em frente à televisão, com seus rebentos, para ver os personagens das novelas viverem intensas tramas amorosas, permeadas por sexo, traição e violência.
Com certeza anualmente acompanham as tramas dos realitys shows, os quais promovem festas regadas a muita bebida. O fruto dessas festas é exibido em rede nacional em tempo real. Os participantes embriagados, assim que se esquecem das câmeras, passam a expor sua intimidade, deixam aflorar seus desejos mais profundos e profanos. Protagonizam cenas de erotismo, simulam atos sexuais e muitas vezes, chegam às vias de fato, embaixo do famoso edredom. E você que está horrorizado com a dona de casa do Inácio, permite que seu filho assista a esses programas, e ainda paga a conta do telefone para que ele possa votar em quem irá “pra roça” ou para o “paredão”.
Você que permite que seu filho assista a programas que se intitulam humorísticos, que sempre tem uma gostosona quase sem roupa como assistente de palco. Programas que não trazem nenhuma contribuição para o desenvolvimento intelectual e humano do seu filho, pois satirizam a camada mais pobre da sociedade, que realiza o sonho dos “quinze minutos de fama” expondo a sua desgraça. Você que vê seu filho a todo o momento repetir coisas desconexas como “Ronaldo!”, “Antonio Nunes!”, e outras bobeiras afins, levanta a bandeira pela preservação da moral e dos bons costumes.
Não estou defendendo que a televisão não deva tratar do tema, pelo contrário. O sexo, o erotismo, a relação que cada individuo estabelece com seu corpo e com a sua sexualidade faz parte da nossa natureza, da vida, do cotidiano e, por isso, deve ser abordado sempre que possível. Não dessa maneira vulgarizada e banalizada, com a qual inevitavelmente, eu e milhares de pessoas nos deparamos diariamente.
É um tanto quanto ingênuo imaginar que um adolescente que está no ensino médio, que tem entre quatorze e dezessete anos de idade, ainda não vive a sua sexualidade. É justamente nesse período que o seu corpo está em pleno amadurecimento sexual, que ele se manifesta.
Nesse sentido o conto em questão apresenta ao leitor adolescente, tão acostumado com a banalização do sexo, outra possibilidade de abordar a sexualidade feminina. Dá asas à imaginação na busca da visualização das cenas construídas pelo autor. Com toda essa polêmica, com certeza os adolescentes estão lendo e relendo o conto, e se aventurando pelo resto da obra. O que é muito positivo para essa geração que anda tão afastada dos livros.
Essa polêmica permitiu-me elucidar o quanto as instituições (família, escola, governo, ou seja, a sociedade) permanece com uma postura conservadora e repressiva para com seus jovens.
É por essas e outras ações, meramente moralistas e repressoras, que muitos jovens ainda não conseguem lidar com a sua sexualidade de forma madura, consciente. O resultado, todos nós já sabemos: iniciação prematura da vida sexual, gravidez na adolescência, a perda da juventude e todos os demais problemas sociais decorrentes da formação de uma família prematura.
Enquanto continuarmos a estabelecer esse tipo de relação com os nossos adolescentes, os mesmos continuarão a ser gauches em busca do seu lugar no mundo.


Suzano, Setembro de 2010.

15 setembro, 2010

É nesta quinta

Pavilhão da Cultura Afro promove evento de reflexão


Nesta quinta-feira, 16/9, a partir das 19h, a Prefeitura de Suzano promoverá uma atividade com debate, sarau afro e apresentação musical. O evento ocorrerá no Pavilhão da Cultura Afro Brasileira - Zumbi dos Palmares localizado no Parque Max Feffer, Rua Roberto Simonsen, s/nº, Jd. Monte Cristo, Suzano.
O debate terá como tema a pergunta "Qual o espaço da cultura negra hoje?" e contará com a participação de capoeiristas, militantes do movimento negro, escritores, poetas e músicos. A mediação da mesa será feita pelo escritor Ademiro Alves, o Sacolinha. Logo na sequência os escritores da Associação Cultural Literatura no Brasil promoverão um sarau com recital e interpretação de poesias que versam sobre a temática afro. Para encerrar a atividade teremos a apresentação musical do percussionista Ricardo de Deus e do grupo de reggae Kilimanjaro.
Outras informações sobre o evento podem ser obtidas pelo telefone (11) 4747-4180.

Luiz Ayrão no Pavio da Cultura de Setembro

Saudações Culturais!!!

Mais uma vez o Pavio da Cultura foi uma grande festa regada a poesia, cordel, música, dança, teatro etc.
O público compareceu em peso e foi recompensado com grandes apresentações e a presença do cantor e compositor Luiz Ayrão.
Tivemos também a divulgação do resultado do 6º Concurso Literário - edição Carolina Maria de Jesus.
Foi um noite muito especial!!
Confira.


Diogo Marins Locci e Mônica Pinheiro Lima Franco - dois dos 22 ganhadores do Concurso Literário


visita ilustre!

MC Sacolinha

casa cheia!

Cákis e a tradicional mesa de livros

Andrio
a mamãe Daiane Vieira

Lino Silva

Rafaela e Jô dançam Afro

grupo lítero-musical Holla Speed Locos
os Homens da Caverna


Luiz Ayrão dá uma canja, acompanhado por Valdivino Sampaio
Marcio Sam, Nelson Olavo e Sacolinha


Caique e Jardel
o cordelista Francis Gomes

Peterson

Débora Garcia
Zé e Valdivino surpreendem cantando em italiano
Guel Brasil

Presidente LULA em Suzano!!!


a multidão aguarda ansiosa

a imprensa também

Lula chega, cumprimenta a todos

e faz um belíssimo discurso!





Cidinha da Silva em Suzano