30 agosto, 2007

Coleção Literatura Periférica

Adquira agora em qualquer livraria do país ou mesmo pela internet.

Conheça os livros...

Para aquisição entre em contato: sacolagraduado@gmail.com

Funciona ou não?

MAUÁ

Atividades Culturais na Biblioteca Municipal Cecília Meireles

- Literatura e leitura na Biblioteca Municipal Cecília Meireles

Rodas de leitura e devaneio literário. Enfocando a discussão no livro
"Vidas Secas" de Graciliano Ramos, analise crítica e apreciações
de leitores. Participação livre com inscrição no local e momento
da roda de leitura.

Sexta-feira - das 18h00 até as 21h00
- 14 de setembro de 2007

- Recital mensal da Biblioteca Municipal Cecília Meireles

Participação livre com inscrição no local e momento da apresentação.

Sexta-feira - das 18h00 até as 21h00
- 28 de setembro de 2007


Biblioteca Municipal Cecília Meireles
Rua Rio Branco, 87 - 1º Andar -
Centro - Mauá - SP (em frente a estação da CPTM - Mauá )
Telefone:. 4547-1483

27 agosto, 2007

Neste ano tem...


Ação Educativa

POESIA DAS RUAS - 1º SARAU RAP DO BRASIL
Iniciativa do poeta Sergio Vaz, o Sarau do Rap é realizado em parceria com a Ação Educativa e acontece toda última quinta-feira do mês desde abril.
Fundador e coordenador do Sarau da Cooperifa, Vaz pretende buscar, através da oralidade, um incentivo para a criação poética. Rap é ritmo e poesia (rythman and poetry).
DIA 30 DE AGOSTO (QUINTA-FEIRA) 19HS30
Ação Educativa
Rua: General Jardim, 660 - Vila Buarque - SP
Entrada: Gratuita

25 agosto, 2007

MAS QUEM LIGA

MAS QUEM LIGA


Ha bunda
Ha seios,
Ha defeito,
Mas quem liga para o preconceito?
A dentadura tirada, colocada num copo dágua.
Mas quem liga ver a boca pelada?
Tira roupa a gemido.
Trouxe camisinha?
E você tomou a pílula do dia seguinte?
Mas quem liga?
Araste-me, jogue na cama.
Abra minhas pernas e diz que me ama.
Beije minha boca
Morda o bico dos meus seios
Bota-me de quatro
De-me um tapa, mas com carinho.
E me faz pedir mais, mais, mais.
Deixe que batam na porta
Deixe que os vizinhos escutem os meus gritos
Esfola-me.
Joga-me na parede e me faz parecer uma lagartixa.
Mas quero descer com as pernas abertas trançadas em suas costas.
Quero transar até amanhecer o dia
Quero que o suor escorra pelo meu corpo
Quero morder a fronha de nosso travesseiro
E ficar jogada na cama depois de um forte orgasmo.
Mas quem liga?

Paulo Pereira
paulo.pereira13@isbt.com.br

24 agosto, 2007

Outro evento

Imagem de uma das telas da exposição, retratando a Rua Direita em 1905, foto do livro Lembranças de São Paulo de João Gerodetti e Carlos Cornejo. O mural está reproduzido na Rua Hélio Pelegrino, nº 1200.

Kobra revive a cidade do início do século passado na Exposição “Memórias de São Paulo”

Após o dia 27 de agosto, quem for a Praça Benedito Calixto, 179 terá a impressão que entrou no túnel do tempo. Provavelmente, os visitantes que tiverem menos de 50 anos farão um agradável e exploratório passeio ao passado, os que estão acima desta faixa terão um convide visual para reviver momentos e recordações.

A sessão nostalgia será proporcionada pela exposição “Memórias de São Paulo” sob a curadoria de D’ Xavier, exibirá oito painéis com 3m² retratando cenas do cotidiano de São Paulo do início do século passado, pintados pelo artista plástico Eduardo Kobra. Sob as mãos do Kobra, as obras parecem criar vida e as cenas retratadas parecem reais. Isto só é possível porque o artista desenvolveu uma técnica que mistura o traço da aerografia com a inspiração, na pintura, do moderno grafite, rico em sombra, luz e brilho. O resultado são peças tridimensionais, que permitem ao público interagir com a obra.

A exposição é parte do projeto “Muro das Memórias”, que tem por objetivo transformar a paisagem urbana através da arte. “É uma mistura de nostalgia e modernidade, por meio de reprodução de imagens do inicio do século em muros da cidade. Já entreguei quatro murais, localizados nas Avenidas Sumaré, Helio Pelegrino, Rangel Pestana e Henrique Schaumann e pretendo pintar mais seis muros até o final do ano”, declara Kobra.

Exposição “Memórias de São Paulo”
Local: Restaurante Bendito Grill - Praça Benedito Calixto, 179 – Pinheiros – Tel. 3086 4022
Vernissage: dia 27 de agosto, às 19h / Período: De 27 de agosto a 28 de outubroDe segunda à sexta das 11 às 15h30h. Aos sábados: das 11h às 24h.
Apoio Cultural: O AUTOR NA PRAÇA

23 agosto, 2007

Faz me rir

Dentadura

João estava indo para cidade depositar um dinheiro em sua conta. O banco estava cheio; ficou horas na fila; sentava e levantava e nada da fila andar, era criança chorando e velhos reclamando isto estava até deixando-o irritado.
As pessoas estavam reclamando até que conheceu Maria na fila do banco.
- Maria onde você mora?
- Moro aqui próximo e você moro um pouco longe do centro.

João e Maria ficaram conversando por horas e nada da fila andar, escutamos um barulho era seu José que estava do nosso lado cochilando tinha soltado um peido e falou me desculpe, mas o mau cheiro subiu.
Uma senhora gorda que estava ao lado falou como que podemos agüentar isto? A fila não anda, um calor infernal o ar condicionado está quebrado e este velho peida aqui, vai para a fila dos aposentados.
Seu José ficou nervoso tirou a dentadura e arremessou. O melado desceu da cabeça da senhora e vendo todo aquele sangue, a senhora saiu correndo dentro do banco atrás do seu José, para bater.
As pessoas que estavam na fila, uns davam risada e outros gritavam pega o velhinho, mas nada de pegar.
Na fila dos aposentados os velhinhos se revoltaram e começaram a correr agora atrás da senhora gorda, era dentadura que voava, muleta que subia e guarda chuva que descia na cabeça de quem entrasse na frente; todos gritando pega esta gordinha.
Duas senhoras, no meio da bagunça, deixaram cair os óculos e começaram a agarrar nos cabelos uma da outra pensando que era a gordinha. Maria, no meio da confusão, sumiu.
Marcos o gerente do banco, chamou a policia, do lado de fora estava cheio de repórter e em minutos a polícia chegou gritando: - todos se afastem vamos entrar.
Os policias entraram e falaram:
- Soltem as armas, mãos na cabeça.
Um monte de velhinhos estava preso do lado de fora do banco, os reportes saíram correndo para entrevistar a gangue do algodão doce, pois era assim que os velhinhos estavam sendo chamados pelas pessoas e os repórteres.

Na delegacia todos estavam chorando, alguns dizendo tenho que tomar meu remédio de pressão, outros gritavam preciso tomar minha injeção de insulina, cadê minha filha? Perguntaram para o delegado Antonio quando é que vamos ser soltos? “Quando aparecer um dos seus parentes para pagar a fiança”.
Algumas horas depois os parentes dos velhinhos chegaram à delegacia:
- cadê minha mãe?
- Cadê meu pai?
- Vô cadê você?

- Delegado Antonio, o senhor tem que soltar eles, o senhor não esta vendo que são pessoas inofensiveis são tudo de idade.
Delegado: “vou soltar depois que vocês pagarem a fiança, e os prejuízos que eles deram no banco, quebraram as cadeiras entre outras coisas, o pessoal da limpeza nunca viu tanta dentadura e guarda chuva na vida deles; depois vocês têm que reconhecer os pertences e os recolherem, aí eles estão liberados”.
Do lado de fora da delegacia estava cheio de reporter para entrevistar os velhinhos. Depois de horas presos, alguns saíram chorando e outros reclamando e o repórter perguntou ao seu José por que aconteceu tudo isso?
-Vou te falar meu filho, foi por causa de um peido e uma dentadura por isso aconteceu tudo isso.
Agora vou descansar, tchau!

PAULO PEREIRA

22 agosto, 2007

Novo texto

BIO NORDESTINAGEM
Carlos Silva



Quem sou eu seu moço?
Sou um turista forçado na bancada de um pau de arara, despejado por aqui ha muitos anos atras, quando o frio cortava feito navalha quem de muito longe trazia uma camisa "volta ao mundo", e um monte de sonhos perdidos num matulão improvisado amarrado com imbiras colhidas no serrado.Quem sou eu seu moço? um dormidor por sobre sacos de cimento, para fazer a tua luxuosa morada.Sou aquele, que com alcool numa"espiriteira" improvisada aprontava a gororóba amarga e tão longe de ser considerada uma verdadeira refeição merecida, após um exaustivo dia de labuta.A sobremesa, era uma banana mergulhada na farinha para dar maior sustento.Sou um equilibrista nos andaimes da vida lutando para o destino não me lançar ao chão da discriminação.
Sou aquele, que por descaso ou deboche, tu me chamavas de baiano, sem nem se quer saber a minha naturalidade.De onde eu vim,tem mais oito estados empobrecidos(aos teus olhos) pela riqueza de quem tanto lhes exploram.Sou aquele, que construiu a tua casa, mas que hoje, nem na calçada atrevo-me pisar.Não posso queixar-me tanto; pois me lembro que Jesus (O Santo filho de Deus) era carpinteiro e só pregava o amor e a bondade. E, numa cruz amadeirada pelo Homem, foi crucificado,humilhado e morto.
Mas doutor, em cada vão da tua casa tem um dedo meu, uma gota de suor caida,uma lágrima que lavou minha saudade, ao lembrar de quem bem longe, um certo dia (carregado de ilusões) para traz deixei.
Eis-me aqui doutor, humilde, mas sem aceitar humilhação sua ou de qualquer um desses teus amigos que acham que cabras como eu, nasceram apenas para te servir.
Trago orgulho da minha NORDESTINIDADE, Escrevo a minha NORDESTINOGRAFIA como forma de Brasilidade, Pois toda NORDESTINOLOGIA, hoje ensina a quem nunca se ligou para aprender o que é ser Brasileiro de fato.O meu NORDESTINAMENTO doutor, é forte descrito por Euclides da Cunha ao acompanhar de perto, o massacre covarde de um povo.
E devo lhe dizer: No mundo, não há NORDESTILOGRAFO mais inteligente, que o matuto que planta em terra dura, o sonho do seu proprio sustento, e que não está nem ai para o que o senhor pensa dele.

PS, Não pretendo conquistar uma cadeira na Academia Brasileira de Letras, mas meu tamborete no varandado da minha casa ninguém tem o direito de sentar... SÓ EU.

Carlos Silva
http://bandasdegaragem.com.br/carlossilvacantador

Vem aí...


SUBURBANO CONVICTO - PELAS PERIFERIAS DO BRASIL.
Organização: Alessandro Buzo
12 autores: GOG (DF), Nelson Maca (BA), RENAN INQUÉRITO (SP), ROBSON CANTO (SP), MICHEL DA SILVA (SP), DUDU DE MORRO AGUDO (RJ), DJ TR (RJ), PRETO C (MG), JOTA C NPN (MG), JESSICA BALBINO (MG), MARY DO RAP (RS), NANDO TAU (SC) .

Realização: Suburbano Convicto e Ação Educativa
Preço: R$20,00
Lançamento: 25 de Setembro (terça) 19hs na Ação Educativa (São Paulo).


Mais atividades

Clique para ver melhor

Novas publicações

Chegam às bancas de todo país, esta semana, as revistas infantis: ERÊ e DANDARA. As publicações trazem desenhos para pintar, jogos, caça-palavras e os conteúdos em sua maioria relacionados à cultura afro-brasileira. Por meio de atividades lúdicas e criativas, as revistas falam sobre diversidade para crianças de 0 a 12 anos. Ambas terão sua periodicidade mensal. A iniciativa inédita do cartunista Maurício Pestana se baseia na Lei 10.639/2003 que obriga o ensino nas escolas da história da África e de seus descendentes no Brasil.


Revista ERÊ, para crianças alfabetizadas de 4 a 12 anos. Por meio desses jogos, passa informações sobre o negro e o continente africano, deuses, histórias etc.
Revista DANDARA, para crianças de 0 a 3 anos. Trará imagens de afro-brasileiros para pintar.
Editora Escala
Valor R$ 1,00
www.mauriciopestana.com.br

18 agosto, 2007

Loja Suburbano Convicto


Rua Nogueira Viotti, 56
Itaim Paulista
Final da lotação Itaim Pta x Metrô Arthur Alvin.
Fone: (11) 6569-9151

Livros, revistas, cd´s, dvd´s, roupas da Conduta, artigos de hip hop.
Só trabalhamos com produtos ORIGINAIS ................

LOJA SUBURBANO CONVICTO VIRTUAL
Pgto via Bradesco x envio por carta registrada.
Qualquer livro acima, acrescentar R$ 5,00 do envio.
alessandrobuzo@terra.com.br

Sergio Vaz

Você já leu a nova edição do livro que comemora os 20 anos de poesia do Sergio Vaz?
Não perca tempo, acesse: www.colecionadordepedras.blogspot.com


Cordel


Conheça os cordéis de Francis Gomes. Mande um e-mail agora mesmo para: tchecos@ig.com.br
ou ligue para: (11) 4749-0384 / (11) 7615-4394

Sarau erótico

Dia 29 de setembro, às 20h

17 agosto, 2007

Neste sábado

comemora com todos os

20 anos da Feira de Artes da Praça Benedito Calixto

Para comemorar os 20 anos da Feira de Artes, Cultura e Lazer da Praça Benedito Calixto e os 447 anos do Bairro de Pinheiros, a Associação dos Amigos da Praça Benedito Calixto - AAPBC e o projeto O Autor na Praça estão programando várias atividades para o dia 18 de agosto de 2007. A Feira surgiu em 1987, a partir de uma iniciativa da Associação e vários aristas, com a proposta de ocupar a praça com o objetivo de oferecer a população atividades culturais em um espaço público. A feira integra os calendários de turismo da cidade e sua história se confunde com a natureza cultural do bairro de Pinheiros.

UM SALVE A TODOS OS PIONEIROS e a AAPBC QUE COM MUITA LUTA ORGANIZAM O EVENTO

PROGRAMAÇÃO

  • Presença de alguns escritores e artistas moradores do bairro, que já participaram do projeto O Autor na Praça.
  • Exposição de maquetes do bairro criadas pelo palhaço, ator, professor e diretor de teatro Florêncio Borges.
  • Performance com o artista de graffiti Eduardo Kobra, pintando um painel com motivos da Feira e do bairro no muro da Associação.
  • Inauguração do Espaço Irene Portela, grande intérprete e compositora, no local onde acontece a apresentação do Chorinho da Praça, na área de alimentação. Na ocasião o grupo Quinteto da AAPBC, recebe alguns convidados especiais. Também haverá uma homenagem para Alana Madureira, uma das fundadoras da Feira. Segundo dizem, deu o nome inicial de "Mercado das Pulgas". De sua profissão de tradutora, soube como incentivar movimentos políticos e culturais como o Bloco "Vai Quem Quer", traduzindo sentimento em ações que contribuiram para o enfrentamento das dificuldades que o país atravessava. Alana nos deixou recentemente, mas ainda está presente com tantos que com ela partilharam várias iniciativas e outros que mesmo não a conhecendo, curtem bons momentos nas histórias que ajudou criar, como a Feira da Benedito.
  • Atividades na sede da Associação dos Amigos da Praça com o grupo de teatro da praça, coordenado por Florêncio Borges, no espaço onde acontecem todos os sábados as oficinas do Beto, do Florêncio e a tradicional massagem, com deficientes visuais, coordenada pelo Instituto Oniki.

QUANDO E ONDE: Sábado, 18 de agosto, a partir da 10h - Feira de Artes da Praça Benedito Calixto

INFORMAÇÕES: AAPBC: 30811803 / Edson Lima 3746 6938 / 9586-5577 - oautornapraca@oautornapraca.com.br

15 agosto, 2007

Resultado

do 3° Concurso Literário de Suzano

O 3º Concurso Literário de Suzano, promovido pela Prefeitura, premiou 20 escritores e poetas no sábado (11/8), durante o Pavio da Cultura, sarau cultural realizado todo segundo sábado do mês. Este ano, o concurso contou com 410 inscrições e 820 textos, entre contos, crônicas, poesias e poemas. O evento ocorreu no Centro de Educação e Cultura Francisco Carlos Moriconi.


Celso Antonio Lopes da Silva, de São Paulo, ficou em primeiro lugar na categoria “Contos/Crônicas”. Já Michel Nogueira Alves da Silva, de Mogi das Cruzes, venceu na categoria “Poesias/Poemas”. Os três primeiros colocados de cada categoria receberam prêmios em dinheiro. Todos os 20 textos classificados farão parte da terceira edição da revista “Trajetória Literária”.

Pela primeira vez, as inscrições para o Concurso Literário de Suzano foram abertas para todo o Estado de São Paulo. Os professores doutores José Maria Rodrigues Filho e Sônia Regina e os escritores Marcelino Freire e Sergio Vaz fizeram o julgamento dos textos.

Classificação

Categoria Poesias/Poemas

1° Lugar: Michel Nogueira Alves da Silva – Pseudônimo: Baobá

Poesia: “22 pães de maça” – 85 pontos

Mogi das Cruzes – SP

2° Lugar: Sidney Rodrigues da Silva – Pseudônimo: E.T

Poesia: “A inspiração” – 82 pontos

SP

3° Lugar: Ricardo Ferreira da Silva Vergueiro – Pseudônimo: Urbano da Mata

Poesia: “Escritor de silêncios” – 80 pontos

Mogi das Cruzes – SP

4° Lugar: Marcus Sacrini Ayres Ferraz – Pseudônimo: Fausto Nayana

Poesia: “Gafanhoto sobre a varanda” – 78 pontos

São Caetano do Sul – SP

5° Lugar: Júlio César Seidenthal de Paiva – Pseudônimo: Júlio Seidenthal

Poesia: “África” – 77 pontos

Mogi das Cruzes – SP

6° Lugar: Antonio Fernando de Souza – Pseudônimo: Permiano Colodi

Poesia: “Um recado azul á lua” – 75 pontos

Mogi das Cruzes – SP


7° Lugar: Irene Otilia Fagioni da Silva – Pseudônimo: Africano sofredor

Poesia: “Minha língua banto” – 75 pontos

Itaquaquecetuba – SP

8° Lugar: Darlan Alberto T. A. Padilha – Pseudônimo: Dimithryus

Poesia: “Se eu morresse amanhã” – 74 pontos

Itaquaquecetuba – SP

9° Lugar: Vânia Paula dos Santos – Pseudônimo: ???

Poesia: “Por essas e outras” – 72 pontos

Suzano – SP


10° Lugar: Rejane da Silva Barros – Pseudônimo: Giovana Dias

Poesia: “Sozinho” – 71 pontos

Suzano – SP

__________ x ___________


Classificação

Categoria Contos/Crônicas

1° Lugar: Celso Antônio Lopes da Silva – Pseudônimo: Lio Jorge

Conto: “Os bêbados não descem ao meio-fio impunes” – 104 pontos

Bela Vista – SP

2° Lugar: Antônio Jorge Abdalla – Pseudônimo: Arabi Razi

Conto: “Rapsódia em dó menor” – 90 pontos

Guaratinguetá – SP

3° Lugar: Glaucio Roberto Caprucho Cabral– Pseudônimo: Cabralito

Conto: “Verde largato marrom ” – 83 pontos

Brás Cubas – Mogi das Cruzes - SP

4° Lugar: José Lopes– Pseudônimo: Yoseph Yomshyshy

Conto: “Soberba... – Um olhar 1928 anos depois” – 82 pontos

Arujá – SP

5° Lugar: José Carlos Santos Peres – Pseudônimo: Kândido

Crônica: “Conta e Risco” – 81 pontos

Avaré – SP

6° Lugar: Marco Aurélio Pinheiro Maida – Pseudônimo: ???

Conto: “Quo Vades?” – 77 pontos

Suzano – SP

7° Lugar: Cláudio Roberto da Silva– Pseudônimo: ???

Conto: “Sobre a mesa um corpo fatiado” – 76 pontos

Suzano – SP

8° Lugar: Conrado Brocco Tramontini – Pseudônimo: ???

Conto: “Outra noite de chuva” – 76 pontos

Poá – SP

9° Lugar: Maria Apparecida S. Coquemala – Pseudônimo: Líria

Conto: “Psicopatas” – 74 pontos

Itararé – SP

10° Lugar: Adauto Elias Moreira - Pseudônimo: Elias Nonatto

Conto: “O cobertor de fibras sintéticas” – 73 pontos

Paraguaçu Paulista – SP

14 agosto, 2007

Ação Educativa

Livro Leitura Literatura

Como entender a literatura

Coordenação: Rogério Nogueira, escritor e professor de Literatura e Língua Portuguesa
Dia: 01 de setembro, das 9h as 13h
Valor:
R$ 10,00
A oficina abordará os gêneros literários: romance, poesia, conto, crônica e dramaturgia, oferecendo uma caracterização básica de cada um. Com enfoque exclusivamente na literatura brasileira, o coordenador destacará importantes autores para situar o aluno nas principais escolas literárias, abarcando quatro séculos de literatura no Brasil.



Como incentivar a leitura

Coordenador: Sacolinha ( Ademiro Alves ) escritor e programador cultural
Dia: 15 de setembro, das 9h as 13h
Valor: R$ 10,00.
Nesta atividade, o escritor Sacolinha apresentará uma série de iniciativas bem sucedidas de ações de incentivo à leitura realizadas pela coordenação de literatura da Secretaria de Cultura de Suzano, da qual ele é titular.Pavio da Cultura
(sarau); Trajetórias Literárias e Trocando Idéias (sobre autores e obras), Concurso Literário e atividades em escolas, são algumas das experiências que serão abordadas. Também será apresentado o vídeo documentário Literatura no Brasil.


Como fazer um livro

Coordenação:
Flavio Martins de Lima, editor, ilustrador, diretor da Editora Ilustra
Dia: 22 de setembro, das 9h as 13h
Valor: R$ 10,00.
Da entrega dos originais ao balcão da livraria, esta oficina traçará todo o ciclo de produção de um livro. Edição, paginação,projeto gráfico, ilustração, capa, revisão, ficha catalográfica, ISBN, registro, direito autoral, gráfica, provas, acabamento, divulgação,
promoção, distribuição e venda. Esses aspectos e outras dimensões do livro enquanto produto, serão abordados com muitos exemplos práticos e informações.


Endereço:
Rua General Jardim 660 - Vila Buarque
Cep: 01223-010 - São Paulo - SP
Fone: 11 3151-2333

Coleção Literatura Periférica

Em julho foi lançado o "Colecionador de Pedras" do poeta Sergio Vaz, agora em setembro sai "Guerreira" de Alessandro Buzo e em outubro "85 Letras e um Disparo" do Sacolinha. Vale ressaltar que o lançamento do livro do Sacolinha será em outubro, porém, o livro sairá em setembro em todas as livrarias do Brasil.

Sergio Vaz, Sacolinha e Alessandro Buzo.

13 agosto, 2007

Direto de Salvador - BA

Rugido
Por Nelson Maka
Para Carlos Moore Wedderburn

Não há Renascimento em nossa Terra
Há a inevitável inserção do corpo e da alma
No confronto à hecatombe anunciada por você
Ponte visível entre as margens invisíveis
O método nefasto do grande mito continental

Funda-se o alçamento do castelo de nossas mais novas ilusões
Revestimento do contrapiso da catástrofe já sedimentada
Nova face da velha história que sempre ajudamos a construir

Você promove o desmanche do nosso edifício colonial
Passo a passo, peça a peça, pessoa a pessoa
Só mesmo você desnuda diante de meus olhos incrédulos esta nova miragem
O seguimento da farsa que me vi envolvido
Os descaminhos dos que ficam
Os desvios na dispersão
O frio sangramento dos filhos fiéis
A última queda da Mãe

Rugido de rara clareza e incrível tensão
Anúncio bélico
A descoberta da face sombria do Movimento sem condução
A ira arrancada da gramática que rompe
Voz dissidente que estilhaça a máscara revolucionária da nova opressão
Dissolve seu simbolismo sagaz
A ardilosa apropriação, o furto, a diluição hipócrita
A lama oportunista
A mancha que se estende
A nódoa sobre os mais salutares tecidos afro-revolucionários

Sua timbragem de rara exceção é o alicerce que não se elastece
O vigor que não se dobra
O pacto profundo da consciência Pan-Africana

Os pilares paradigmáticos de Kwame Nkrumah
Metonímia que bem representa a fidelidade de sua abnegação
A gratidão com que você coloca o peito aberto ante a ilusão que nos guia
Ante aos predadores de fora e de dentro da nossa gente preta

Tendo limpado minha consciência perdida de ignorar tantas cruezas
A têmpora dos que não têm acesso à restrita casa grande das informações
Não mais imito o trânsito inconseqüente nas esferas do poder estranho a nós

Obrigado por coroar minha cabeça finalmente
Com a semente que se faz brotar do entendimento definitivo
Da nascença das razões reais do continente
Da nova estampagem de meu semblante agora coberto de cumplicidade

Quando você se inscreve de corpo e alma na luta
Quando você escreve seu sempre ponto seguimento
Na sequência visceral das indagações
Na proposição do comportamento do homem íntegro
Na indubitável concretude do relato da história
Na experiência imediata do abandono da dor da miséria da morte
Na dedução catastrófica para o passado e o futuro
Na blindagem ao que se é dito quando se está sentindo
Não na única versão dos fatos
Senão no fundamento da sinceridade
Na coragem que nos interessa Na verdade que pode nos apontar caminhos

09 agosto, 2007

O AUTOR NA PRAÇA

com
Veronica Tamaoki
em tarde de autógrafos

Verônica Tamaoki é a próxima convidada do projeto O Autor na Praça, autografando os livros O Fantasma do Circo e Circo Nerino, este último em co-autoria com Roger Avanzi. Haverá algumas leituras de textos sobre o palhaço e o circo, entre eles "A Vocação" de Plínio Marcos, além de intervenções e performances com a participação do ator e mágico cômico Pariat Frota Yepez, interpretando o Prof. Tan-Tan e outros convidados e o cartunista Júnior Lopes. Saiba mais sobre os autores e os livros:
www.pindoramacircus.com.br ou www.tvtupinikim.com.br (veja na agenda).

O Autor na Praça com Verônica Tamaoki e convidados.
Espaço Plínio Marcos - Tenda na Feira de Artes da Praça Benedito Calixto - Pinheiros
Dia 11 de agosto de 2007, sábado, a partir das 14h
Entrada Franca - Informações: Edson Lima - Tel. 3746 6938 / 9586 5577
Realização: Edson Lima & Associação dos Amigos da Praça Benedito Calixto
Apoio: Restaurante Consulado Mineiro, Max Design, Cantinho Português, Jornal da Praça, TV Tupinikim (
www.tvtupinikim.com.br) e Mariana Matos.

08 agosto, 2007

Duas atividades

Costa Senna se apresenta antes do Pavio da Cultura

Conhecido nacionalmente pelas músicas de contextos diferentes, poesias, versos, rimas, métricas e sons Costa Senna e sua banda, a UnirVersos, se apresentam em Suzano neste sábado (11/8), às 19h, no Centro de Educação e Cultura “Francisco Carlos Moriconi” (Rua Benjamin Constant, 682 – Centro). Logo após a apresentação, será realizada mais uma edição do Pavio da Cultura, um sarau literário promovido pela Secretaria de Cultura que conta com música, cinema, teatro, poesia e muito mais. As duas atividades são gratuitas.

Cantando ou declamando suas composições, Costa Senna e a banda UnirVersos criam um universo artístico que mistura literatura de cordel e MPB, com temas como a ecologia, a violência, a etnia, a mulher, ética e cidadania, o social, sem perder a ternura da cultura popular brasileira.
Com direção musical de Tiago Stocco, o show da Banda UnirVersos busca mesclar ritmos nordestinos como coco, embolada, baião e xote com o som urbano do hip-hop e da música pop. Usando toda essa diversidade cultural, a banda faz um show para toda a família. O grupo é formado por Costa Senna (voz principal), Tiago Stocco (voz e viola/12 cordas), Rodolfo Stocco (violão/nylon), Ornela Jacobino (voz) e Júbilo Jacobino (percussão).

Na seqüência da apresentação, às 20h, será realizado o Pavio da Cultura. Divulgação do resultado do 3° Concurso Literário de Suzano, música, dança e leitura dramática são algumas das atividades.
Logo no início do evento, será aberta oficialmente a exposição “Literatura de Cordel”. Na seqüência, Francis Gomes fará algumas apresentações e lançará três cordéis, “O Caipira Feio e a Academia”, “A Briga das Fuxiqueiras” e “O Malandro”. O cordelista é cearense e reside em Suzano desde 1990.


Outra grande atividade da noite é a divulgação do resultado do “3º Concurso Literário de Suzano”, que contou com 410 inscrições e 820 textos entre contos, crônicas, poesias e poemas. As inscrições foram abertas para todo o Estado de São Paulo. Os professores doutores José Maria Rodrigues Filho e Sônia Regina, e os escritores Marcelino Freire e Sergio Vaz, fizeram a avaliação dos textos. Os três primeiros colocados de cada categoria receberão premiação em dinheiro, e os 10 melhores textos de cada categoria serão publicados na revista Trajetória Literária nº 3.

Últimas notícias

Pavio da Cultura – Sarau
11/8 – 20h
Neste sábado, haverá no tradicional sarau Pavio da Cultura, a divulgação do resultado do 3° Concurso Literário de Suzano. Terá também o lançamento do conjunto de cordéis de Francis Gomes. Será homenageado nesta edição o escritor Guimarães Rosa.
Local: Centro Cultural de Suzano
Realização: Associação Literatura no Brasil e Secretaria de Cultura de Suzano
GRATUITO
*
COLEÇÃO LITERATURA PERIFÉRICA
Dia 05 de julho foi lançado o primeiro livro da Coleção Literatura Periférica. “Colecionador de Pedras” – Poesia de Sérgio Vaz, já está em todas as livrarias do Brasil. E ainda vem por aí:
Guerreira – Romance – Alessandro Buzo (agosto)
85 Letras e um Disparo – Contos - Sacolinha (setembro)
*
Arte na Rua
4, 11, 18 e 25/8 – 10h às 17h
Exposição de quadros e livros ao ar livre, colocando à disposição da população grandes obras de arte.
Realização: Associação dos Artistas Visuais e Plásticos de Suzano e Associação Cultural Literatura no Brasil
Local: Esquina das ruas Benjamin Constant e 27 de Outubro, Centro, Suzano.
GRATUITO
*
Encontro Cultural
18/8 - 15h
A escola Santa Mônica de Mogi das Cruzes promove neste mês de agosto o evento "Encontro Cultural". O escritor Sacolinha é o convidado deste dia para falar de literatura.
Realização: Colégio Santa Mônica
Local: Colégio Santa Mônica - Rua São João, 141 - Mogi das Cruzes - SP
GRATUITO
*
Sarau na Escola
21/8 - 11h
Sarau na escola é uma atividade de incentivo á leitura e formação de leitores desenvolvida pela Associação Cultural Literatura no Brasil que visita duas escolas por mês.
Realização: Associação Cultural Literatura no Brasil
Local: Escola Oswaldo de Oliveira Lima, Jd. Revista, Suzano, SP.
GRATUITO
*
Trocando Idéias
28/8 – 20h
Uma vez por mês a Associação Cultural Literatura no Brasil promove um debate sobre uma obra brasileira. Desta vez, o livro em pauta será “Iracema”, de José de Alencar. A atividade recebe apoio da Secretaria de Cultura de Suzano.
Facilitadora: Micheli da Silva, escritora
Realização: Associação Cultural Literatura no Brasil
Local: Centro Cultural de Suzano
GRATUITO
*
Agenda Cultural da Periferia
Começou a circular em todo o estado de São Paulo a Agenda Cultural da Periferia n° 04, uma iniciativa da ong Ação Educativa. Veja mais detalhes: www.acaoeducativa.org
*
Endereço:
Centro Cultural de Suzano
Rua Benjamin Constant, 682Centro - Suzano – SP
INFORMAÇÕES: (11) 4747-4180

Colecionador

Povo lindo, povo inteligente,
O meu livro "COLECIONADOR DE PEDRAS", 20 anos de poesia, que faz parte da coleção Literatura periférica (Global editora), já está à venda nas livrarias de SP e outros estados. Se estiver afim...
Caso na sua cidade não tenha livraria, não esquenta, receba-o pelo correio. É fácil, e o frete é grátis. Mande seu pedido para: vendas@globaleditora.com.br
C/Leandro. O valor é o mesmo de livraria R$ 29,00.
Agora é com você, literatura das ruas direto na sua casa.
No apetite de novos desafios,
Sérgio Vaz
Cooperifa

06 agosto, 2007

Convite

Não percam no próximo Pavio da Cultura, 11 de agosto de 2007, será divulgado o resultado do III Concurso Literário de Suzano.
No mesmo dia, o poeta e cordelista Francis Gomes estará relançando os seus dois primeiros cordeis: O CAIPIRA FEIO E A ACADEMIA E MALANDRO. Também terá uma novidade, seu novo trabalho.O cordelista estará lançando seu terceiro cordel, AVENTURAS DE UM CAIPIRA.

Estão todos convidados a participar e ver as novas performas do cordelista que promete roubar sorriso da platéia.

um abraço á todos.

Francis Gomes.

05 agosto, 2007

PENICO A EVOLUÇÃO

Penico, a evolução
Por: Paulo Pereira
Zezinho acordou triste e pensativo, com uma dor de dente e uma dor no pé do umbigo, a barriga estava até roliça. Ficou triste sem saber que dor era aquela. Gritou sua mãe dona Joana: _ Bem que eu te disse para não comer tanta besteira menino, isto são gases presos, toma este comprimido, se não sarar prepare o nariz e o penico._ Mamãe eu não vou tomar, isto é ruim._Você pode espernear, gritar, rodopiar no chão, mas vai tomar Zezinho. A barriga reclama, Zezinho sai correndo pega um dos penicos debaixo da cama e senta, parecia até um rodízio, dona Joana tirava um cheio e colocava outro vazio. Zezinho gritava: _Mãe me ajuda! me ajuda! acode mamãe! Lágrimas corriam, suor escorria, era uma bufa atrás da outra, parecia até fogos de artifício. Dona Joana abriu porta, janela e ligou até ventilador, os vizinhos gritavam: _Que barulho são estes? De onde esta vindo todo este fedor? A dor de dente do Zezinho até que passou. Silencio...O silencio era tão grande que dona Joana escutou o último pedido de uma mosca._Por favor, cuide dos meus filhos, lagartixa, pé de pano, rocambole e azeitona.De lá do quarto Zezinho grita: _Aleluia, aleluia! parei de cagar.Dona Joana abraça Zezinho e enxuga o suor._Filho tire esta roupa e jogue a cueca fora, sua barriga agora esta vazia, mas que estrago meu filho.Zezinho sai no quintal para tomar um ar e vê seus vizinhos de mascaras no rosto, gritando: _O que foi isto meu filho? Pensamos que era a terceira guerra mundial e que o rio Tietê tinha transbordado.Do lado do tanque um monte de penicos. Dona Joana abraça Zezinho. _Não fique macambúzio filho, jogo desinfetante, dou uma boa lavada, logo estará brilhando de novo. Varro o quintal, tiro as moscas, os bichos e os pássaros que morreram e presto socorro para aqueles que sobreviveram._Olha quantos urubus vieram para o banquete, vestindo seus melhores ternos.Em meio a risos e abraços dona Joana fala brincando: _Zezinho vai mais um penico? _Um homem prevenido vale por dois, um penico na hora da dor e um nariz resistente para suporta o fedor.

02 agosto, 2007

Você já tem?



Caso ainda não tenham em mãos nenhuma dessas publicações, entre em contato com a gente: literaturanobrasil@bol.com.br



Sarau LiteraturaNossa Agosto 2017